Sem filiação partidária há uma década quando disputou, e perdeu fragorosamente, uma eleição para vereador do Rio de Janeiro pelo PT, o presidente da OAB-RJ, Felipe Santa Cruz foi convencido pelo seu padrinho político, o ex-governador Sérgio Cabral, a se filiar ao PMDB. Presidente por duas vezes da Seccional, Santa Cruz quer ao final do atual mandato, em 2018, sair candidato a algum cargo eletivo, como deputado ou senado. Ele não afasta, segundo assessores mais próximos, nem a hipótese de colocar seu nome à disposição do partido para o cargo de governador, caso a crise atinja nesses próximos dois anos os “caciques” do partido no estado.

A filiação de Santa Cruz ao PMDB de Sergio Cabral dois depois de ser tomar posse como presidente reeleito da OAB-RJ no Teatro Municipal. Mas, somente agora se tornou do conhecimento público. Santa Cruz pediu ao amigo particular e “padrinho” Sergio Cabral que não anunciasse naquele momento a sua filiação ao partido.

Um advogado presente à cerimônia lembrou que ao discursar na posse, Santa Cruz anunciou com muita ênfase que “a nossa entidade não está pagando nada ao governo do estado pelo empréstimo do teatro. Foi tudo de graça”. O teatro, apesar de ter o nome Municipal, pertence ao estado do Rio de Janeiro.

Isto explica – disse um advogado filiado à OAB do Rio – o motivo pelo qual o teatro foi cedido gratuitamente. A relação política e de amizade do presidente da entidade com o PMDB – o partido domina o estado (Pezão/Dornelles) e o município (Eduardo Paes) é muito forte. “Não tem almoço grátis”, concluiu o advogado. (site diariodopoder)