No dia 3 de setembro de 1989, portanto há 30 anos, o comandante Cesar Augusto Padula Garcez e Nilson de Souza Zille, respectivamente piloto e co-piloto do Boeing 737-200, fizeram um erro de navegação no vôo 254, na rota Sao Paulo-Belém, e foram obrigados a realizar um pouso de emergência (por falta de combustível) em uma região de floresta localizada a 60 km ao norte de São José do Xingu, Mato Grosso.

A aeronave transportava 41 passageiros e 6 tripulantes. No pouso realizado em condições precárias 12 passageiros perderam a vida.

As investigações sobre o acidente se iniciariam no dia 7 de setembro. Desde o desaparecimento da aeronave, a aeronautica apontava falha humana como causa do desastre. Havia a suspeita de que os tripulantes do PP-VMK estivessem distraídos ouvindo o jogo do Brasil contra o Chile, válido pelas Eliminatórias da Copa do Mundo FIFA de 1990. No entanto ,seria descoberto um erro de navegação localizado no plano de voo fornecido pela VARIG. No plano, estava grafado rumo 0270, significando 027,0 graus.

Cesar Augusto Padula Garcez e Nilson de Souza Zille foram condenados em 1997 a quatro anos de prisão pelo acidente,
com o avião da Varig. A sentença foi do juiz Alexandre Vidigal de Oliveira, da Justiça Federal em Cuiabá (MT).