O juiz Jesseir Coelho de Alcântara, da 3ª Vara dos Crimes Dolosos Contra a Vida e Tribunal do Júri da comarca de Goiânia, mandou a júri popular, hoje (3), Maristela Soares Rosa Tai, acusada de ser cúmplice no crime de aborto, com o consentimento da gestante.

O crime aconteceu no dia 5 de agosto de 2008, por volta das 12h, no interior da clínica e consultório do ginecologista Wen Tai, localizada na avenida T-1, no Setor Bueno, em Goiânia, Daiany, com o companheiro Ricardo, autorizou a realização do seu aborto com o ginecologista Wen Tai, marido de Maristela.