A pedido da Associação dos Magistrados Brasileiros, Dias Toffoli adiou a retomada da votação, prevista para hoje no CNJ, de uma resolução que pretende restringir o uso das redes sociais por juízes.

Na semana passada, os presidentes da AMB e das principais associações da classe se reuniram com o ministro reiteraram a posição contrária ao texto proposto.

Argumentam que eventuais excessos de juízes nas redes devem ser analisados caso a caso.

A proposta em discussão no CNJ restringe não só manifestações em mídias sociais abertas (como Twitter e Facebook), mas também em plataformas fechadas (como o WhatsApp e o Telegram). (Antagonista)