Mineiro de Prata – conhecida como “A capital do Leite”, em Minas Gerais e carioca por adoção, o advogado Nicola Manna Piraino reside há muitos anos no Rio de Janeiro onde se formou em Direito e aprendeu a torcer para o Fluminense , seu clube de futebol de coração. Mesmo longa da sua cidade natal, Nicola não esquece das raízes. Sempre que tem espaço na agenda pega o avião no aeroporto Santos Dumont e segue para Uberlândia, no Triângulo Mineiro. De lá para a sua cidade a distância é de apenas 80 quilômetros . Recentemente, Nicola decidiu criar a Associação dos Amigos do Dinoprata. O símbolo é o Maxakalisaurus Topai, da Serra da Boa Vista.

Fundada em 15 de novembro de 1873, as origens da fundação do município de Prata prendem-se às primeiras entradas de bandeirantes e aventureiros na região do Sertão da Farinha Podre, hoje denominada Triângulo Mineiro, no Estado de Minas Gerais, com o objetivo de encontrar terras propícias a agricultura e criação de gado. Entre os anos de 1810 e 1813, o sargento-mor Antônio Eustáquio da Silva e Oliveira, fundador de Uberaba, fez várias incursões no território do atual Município de Prata, demarcando sesmarias para si e seus companheiros. Posteriormente, Antônio Eustáquio e outros sesmeiros doaram o terreno para a construção do arraial que, em 1839, foi elevado à categoria de distrito de paz, com a denominação de Nossa Senhora do Carmo dos Morrinhos.

Foi o terceiro núcleo urbano a se formar no Triângulo Mineiro (Araxá e Uberaba foram os primeiros). De Prata surgiram todas as cidades do Pontal do Triângulo (Ituiutaba, Frutal, Campina Verde, Santa Vitória, Iturama, Monte Alegre de Minas e outras). É formado pelos distritos de Prata (sede), Jardinésia, Monjolinho e Patrimônio.

Historiadores asseguram que em Prata, por volta do ano de 1857, pela primeira vez, houve um movimento pela emancipação do Triângulo Mineiro do Estado de Minas Gerais, sob o argumento de que o governo mineiro pouco fazia pelo desenvolvimento da região, pois não investia em estradas, saúde e educação, relegando a região ao esquecimento.

A principal atração turística do município fica na região da Serra da Boa Vista, as Pinturas Rupestres datadas de mais de 10.000 anos situadas em um paredão da serra na fazenda do Sr. Ideon. É preciso fazer uma caminhada de 30 min até o local por uma trilha de médio esforço. Na região também fica um sítio paleontológico com fósseis de dinossauros saurópodes, além de vários mirantes, o principal em cima da serra da Boa Vista onde a vista é exuberante.

Em Prata foram localizados fósseis do maior dinossauro encontrado no Brasil, que viveu há mais de 80 milhões de anos na região da Serra da Boa Vista, distante cerca de 40 km da cidade de Prata, cujo nome científico foi denominado de Maxakalisaurus topai, e popularmente escolhido de Dinoprata, após votação popular, valendo destacar que a réplica do titanossauro (montada em resina), com cerca de 13 metros de comprimento, estava exposta no Museu Nacional no Rio de Janeiro, desde 28 de agosto de 2006.

O Dinoprata era maior atração do museu nacional da UFRJ, tinha quase 1,5 milhão de visitantes. Hoje, lamentavelmente, nao existe mais. Foi destruído no incêndio que destruiu o museu.