Médicos peritos da Justiça Federal estão sem receber salário desde janeiro. Com isso, deixaram de realizar perícias. E, pra variar, quem paga o preço é a população. Especialmente quem depende da perícia para receber os benefícios do INSS.

Os atrasos têm sido recorrentes, segundo o Jorge Sale Darze, presidente da Fenam. Em 2018, foram mais oito meses de atraso e uma dívida que chegou a R$ 230 milhões. “Não podemos mais aceitar essa situação absurda, que se repete todo ano. O Poder Judiciário existe para promover a justiça e não a injustiça, como está acontecendo com os peritos. Os profissionais exercem sua atividade com todo zelo, mas não estão recebendo um centavo sequer por isso”, afirmou Darze.

tualmente, cada médico recebe R$ 200 por perícia realizada. O valor está congelado há quatro anos, o que também é alvo de críticas da Fenam. “O trabalho do perito não é simples, não pode ser resolvido pelo computador. Demanda tempo e dinheiro. O médico precisa se deslocar até a casa do cidadão para realizar a perícia. Esse valor está defasado”, disse Darze.