Do diretor-geral da Escola Superior de Advocacia da OAB do Rio de Janeiro, advogado Sérgio Coelho: “Pela primeira vez em muitos anos o Rio de Janeiro tem uma política de segurança que faz sentido.

Uma política que tem conseguido reduzir o crime e que mostrar aos bandidos que a polícia existe. E bastaram seis meses de eficiência para surgirem as críticas, vindas de todos os lados. São essas críticas que há décadas impõem à polícia do Rio de Janeiro, por vontade dos governantes, uma atitude passiva diante do aumento da criminalidade, como se fosse essa a vontade dos cidadãos.

Não é. Infelizmente, não há estratégia capaz de desarmar e desarticular dezenas de milhares de marginais armados com equipamento de guerra que não seja o confronto. É evidente que as incursões armadas não podem excluir as ações sociais, a prevenção e a educação. Todas elas são estratégias complementares e indispensáveis ao combate à criminalidade que oprime, principalmente, o cidadão honesto e trabalhador que reside nas comunidades dominadas pelo
tráfico.
Se há abusos, que os responsáveis sejam penalizados, na forma da lei, mas não podemos mais adiar o confronto.”