A 1ª Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Manaus (AM) abriu a pauta de julgamentos populares do primeiro semestre do ano. Na primeira sessão, presidida pelo juiz Mateus Guedes Rios, sentaram no banco dos réus José Altair da Silva Cunha, Denes do Nascimento Araújo e Cleuson Araújo Viana, acusados da morte do médico oftalmologista Egídio Corrêa Lira Júnior, crime ocorrido em 1º de novembro de 2015. O Conselho de Sentença reconheceu a culpa dos três acusados.

O magistrado que presidiu a sessão aplicou uma pena de 17 anos e seis meses para José Altair; 14 anos e cinco meses para Cleuson e 17 anos e seis meses para Denes Araújo. José Altair, apontado na denúncia formulada pelo Ministério Público como o mandante do crime, permanece preso. Os outros dois réus vão poder recorrer da sentença em liberdade, pois já estavam respondendo ao processo fora da prisão.

Um quarto acusado de participação no homicídio – Weverton Fernandes Marques – morreu durante a instrução do processo.