Em tempos de constantes escândalos políticos e crimes contra o poder público, se faz necessário reforçar a importância da ética na administração. Enquanto instituição atenta as questões de interesse da sociedade, a OAB/SE esteve presente na abertura do fórum “Por um Brasil ético: o dinheiro público é da sua conta”, promovido pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE/SE) e realizado no auditório do tribunal.

O presidente da OAB/SE, Henri Clay Andrade, destacou a relevância do fórum, como ambiente para apresentação de ideais. “Precisamos abrir mais espaços de debate para criarmos estratégias de mobilização popular, com objetivo de passar o Brasil a limpo. Para que os princípios da moralidade, da legalidade e a constituição voltem a reinar na administração publica brasileira”, pontuou. Ao ser questionado sobre a crise instaurada no país, Henri Clay afirmou que a população precisa se mobilizar para exigir a saída de Temer. “Com todas essas denúncias, não há mais condições do presidente continuar ocupando o mais alto cargo da república brasileira. Seria um gesto de grandeza se ele renunciasse, mas como ele se apequenou e se apegou no cargo, é hora do povo nas ruas pedir a sua saída e das eleições diretas acontecerem”.

O ex-ministro do Supremo Tribunal Federal, Carlos Ayres Britto, abriu o Fórum com a palestra “Ética na Administração Pública”. Para Ayres, a sociedade não perdoa mais a instituição que não funciona. “Temos pontos de fragilidade estrutural em nossa história e a corrupção, sobretudo a sistêmica, é um desses pontos. Mas estamos combatendo, tomando ciência de que não dá mais para seguir tolerando certas práticas, atentatórias da dignidade de todos nós e do país”, assegurou.

Ayres Britto ressaltou o papel da Ordem na construção de um país mais ético. “A OAB é uma instituição fundamental nesse sentido, porque vela pela observância do sistema jurídico e garante a fidelidade do sistema de justiça ao jurídico”.