A briga judicial entre o “Complexo Maracanã Entretenimento S.A”, ex-concessionária do estádio, e o Fluminense ganhou novos capítulos nesta sexta-feira. O desembargador Eduardo Gusmão Alves de Brito Neto, da 16ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ), atendeu ao recurso do Tricolor e concedeu um efeito suspensivo contra o Complexo em razão do levantamento de valores por parte do Consórcio.

Em abril desse ano, o Complexo Maracanã havia entrado com uma ação contra o Fluminense que permitia o levantamento do valor depositado pelo clube nos autos – cerca de R$ 320 mil -, por “título de estimativa de gastos com as partidas de futebol realizadas”. O clube, porém, alegou no recurso que a quantia ainda é controvertida.