Preso em Curitiba por determinação do juiz Sergio Moro, o ex-deputado Eduardo Cunha contratou o escritório do advogado Marlus Arns de Oliveira, que fez as delações premiadas dos executivos da Camargo Corrêa, Dalton Avancini e Eduardo Leite, e do empresário João Bernardi Filho. O defensor diz que a delação “não está no horizonte”, e que é preciso estudar o processo. O escritório também integra a defesa da mulher de Cunha, a jornalista Cláudia Cruz, que responde ação por corrupção na Lava Jato.

Os advogados do ex-deputado devem entrar com um pedido de habeas corpus no TRF (Tribunal Regional Federal) pedindo a sua soltura. “Vamos discutir a competência da Justiça Federal, porque é um processo que já estava em trâmite no STF, e se estão presentes os requisitos da preventiva”, disse Arns.