O advogado que nasceu em Eirunepé (AM), chegou a ser governador do Amazonas por três vezes, uma vez senador e ainda eleito para três mandatos de prefeito de Manaus, Amazonino Armando Mendes fechou o quarto dia do Curso de Atualização em Direito Eleitoral – Eleições 2016, promovido pela Escola Superior da Magistratura do Amazonas (Esmam).

Aos 76 anos, polêmico, carismático e ainda com seguidores fiéis, Amazonino Mendes afirmou que não pretende voltar a se candidatar, mostrando uma certa decepção com a política. O presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), desembargador Flávio Pascarelli, prestou uma homenagem ao político por ser um dos responsáveis pela criação da Escola Superior da Magistratura do Amazonas (Esmam).

“Foi ele que cedeu um prédio, na Praça da Saudade, para que a escola pudesse funcionar e foi o primeiro palestrante, ministrando a Aula Magna, na abertura da Esmam. Esta é uma homenagem mais do que devida, merecida”, salientou Pascarelli.

O diretor da Esmam, desembargador Ari Moutinho, lembrou que os dois foram contemporâneos na Faculdade de Direito, em Manaus, e, mesmo estando em lados opostos ao longo da trajetória profissional de ambos, “o tratamento sempre foi cordial e respeitoso” entre os dois.