Do jornalista Ronaldo Brasiliense: “O absurdo do projeto que cria o Estado do Tapajós é que foi feito única e exclusivamente para beneficiar Santarém, a futura capital.

Agora me digam: por que os habitantes dos municípios que vivem em zonas de influência do rio Amazonas (Faro, Terra Santa, Juruti, Óbidos, Alenquer, Curuá, Monte Alegre, Prainha e etc) têm que ser “tapajonicos?”

Por quê o povo de Oriximiná, nas margens do rio Trombetas, tem que ser do Estado do Tapajós?

Por quê a capital tem que ser em Santarém e não em Óbidos, na Calha Norte, região mais esquecida da Amazônia?”