Dia 29 de setembro de 2007, uma sexta-feira. Roberto Busato, presidente nacional da OAB visita oficialmente a Seccional da OAB do Amazonas. É recebido com muita festa pelo então presidente da Seccional, o saudoso Alberto Simonetti. No dia seguinte, um sábado, Busato, Simonetti e eu fomos dar um giro pela cidade de Manaus. Passamos bem perto do local onde ficavam ancoradas as lanchas, cada uma maior do que a outra.

Simonetti, que viveu a vida inteira na capital amazonense apontava para cada uma e dizia o nome do proprietário. Muitos, certamente, não poderiam ter aquelas máquinas aquáticas. O salário de funcionário público não permitiria. Seguindo o passeio de carro, eu e o Busato notamos uma área extensa seca , com muitos barcos sem condições de navegação porque nao tinha água e sim muita areia. Perguntei ao Simonetti o motivo daquela cena que estávamos vendo. Ele foi claro: a seca está muito violenta, já dura alguns meses e essa área que vocês estão vendo é o rio Amazonas. Ficamos perplexos. Mas, nao se preocupem – disse Simonetti – em breve chove o rio Amazonas volta a ser navegável.