O advogado gaúcho de Porto Alegre mas radicado em Santarém, no Pará, há 43 anos, Rodolfo Hans Geller morou e estudou em Santa Catarina onde se formou em Direito na Universidade Federal. Por meio do Programa de Fixação de Mão de Obra (Profix) , da Fundação Projeto Rondon e do Ministério do Interior, em parceria com a UFSC, foi para Santarem em 1 de agosto de 1976 para Santarém onde permanece até os dias de hoje.

Em síntese , a minha observação, com relação às queimadas, se identifica com a de meu colega Helenilson Pontes, cujo teor é o seguinte:

– Gente, aqui na Amazônia temos 6 meses de chuva igual período de sol. Quando inicia a época de calor as queimadas começam floresta de forma natural e todo ano é assim. Esse ano temos muito menos queimadas que nos anos anteriores. Nao fiquem brigando por notícias que vocês eram no UOL ou na Folha, a mídia está batendo nessa tecla para se aproveitar de vocês. Moro aqui na Amazônia e c0nhecemos nosso ecossistema. Temos, sim, que brigar para preservar, mas ultimamente está melhor que há alguns anos. Menos queimadas e menos exploração de madeira. Só na minha cidade foram fechadas oito madeireiras. A mídia está poluindo a cabeça de vocês.