O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) decidiu afastar cinco desembargadores e um juiz do Tribunal Regional do Trabalho da Bahia (TRT-5). Todos são suspeitos de vender sentenças e favorecer réus.

O esquema é investigado pela Polícia Federal, na Operação Injusta Causa, deflagrada em 11 de setembro, que teve como alvo cinco dos seis magistrados afastados pelo CNJ.

Foram afastados os desembargadores Norberto Frerichs, Adna Aguiar, Pires Ribeiro, Esequias Oliveira e Graça Boness, e o juiz Thiago Barbosa de Andrade. Somente Graça Boness não fora alvo da PF na operação.

Nota Pública do TRT-5

O Tribunal Regional do Trabalho da 5ª Região (TRT5-BA) reafirma o compromisso da instituição com a imparcialidade da Justiça e continuará acompanhando a investigação dos fatos pela Corregedoria-Geral da Justiça do Trabalho, pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e pelo Ministério Público Federal (MPF) que envolve os desembargadores Maria Adna Aguiar, Esequias Oliveira, Maria das Graças Boness, Norberto Frerichs, Washington Pires Ribeiro e o juiz Thiago Barbosa, ao tempo que aguarda, para adoção das providências, a intimação da decisão prolatada pelo CNJ, nos autos da Reclamação Disciplinar 0010541-92.2018.2.0000, na sessão plenária realizada nesta terça-feira (24/9).