Poucos sabem ou se lembram que a cantora Zélia Duncan morou vários anos em Brasília e trabalhou durante sete anos no cargo de nível médio denominado Auxiliar Judiciário – hoje denominado Técnico Judiciário – na Justiça do Trabalho. Trabalhou inicialmente no TST e depois pediu transferência para o TRT da 1 Região (RJ). Seus pais, já aposentados, trabalharam muitos anos no TST como Técnicos Judiciário ( hoje denominado Analista Judiciário).

Zélia Cristina Duncan Gonçalves Moreira nasceu em Niterói em 28 de outubro de 1964. Aos 16 anos, em 1981, Zélia enviou uma fita para a Sala Funarte de Brasília, que na época realizava concursos. Foi selecionada em primeiro lugar e apresentou lá o seu primeiro show. Abriu com a canção “Fazenda” de Milton Nascimento e após a apresentação bem sucedida várias portas se abriram para ela. Em 30 de outubro de 1984, já com 20 anos, com seguiu um emprego na TST.

Em 1987, já com 22 anos, pediu transferência do TST para o Tribunal Regional do Trabalho da 1 Região (RJ). Foi morar novamente em Niterói, agora com a avó Zélia. Na época, para melhorar o salário, fazia de tudo um pouco: foi locutora da rádio Fluminense FM onde usava a outra parte do seu nome: Cristina Moreira. Foi backing vocal do cantor José Augusto e de Bebeto. Cursou Teatro na CAL (Casa das Artes das Laranjeiras) e também nessa época fez seu primeiro show no Rio de Janeiro.

Em 21 de novembro de 1991, já ganhando dinheiro com as suas apresentações musicais, pediu demissão em caráter irrevogável da Justiça do Trabalho. Zélia cantou na festa da posse da primeira presidente do Brasil, Dilma Rousseff na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, no dia 1 de Janeiro de 2011. Elba Ramalho, Fernanda Takai, Mart’nália e Gaby Amarantos também se apresentaram. Cada uma cantou cinco canções e se reuniram para cantar mais uma música ao final do show “Cinco Ritmos do Brasil”.

Os pais de Zélia – Antonio Moreira e Loise Duncan Machado Gonçalves – se aposentaram respectivamente em 1981 e 1989.