O Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj) cassou o exercício profissional do médico Sergio Luiz Côrtes da Silveira por falta de conduta ética médica. Sergio Cortes foi secretário estadual de Saúde do Rio de Janeiro entre 2007 e 2013 nos dois governos de Sérgio Cabral, já condenado a mais de cem anos de cadeia. Côrtes foi preso no dia 11 de abril de 2017 sob a acusação de fraudes em licitações destinadas ao fornecimento de próteses para a Secretaria Estadual de Saúde e para o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (INTO).

Após quase dez meses preso, boa parte na antiga Cadeia Pública José Frederico Marques, hoje presídio José Frederico Marques, situado no bairro de Benfica, na zona central da cidade do Rio de Janeiro. Côrtes teve sua prisão preventiva revogada pelo ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, passando a cumprir uma série de medidas restritivas. Em agosto de 2018 voltou a ser preso na operação Lava Jato.

Casado, pai de três filhos, especializado em cirurgia ortopédica, Côrtes foi ortopedista da Seleção Brasileira de Voleibol Masculino, da Federação Internacional de Voleibol e do Comitê Olímpico do Brasil. Entre 2002 e 2006, Sérgio Côrtes foi diretor Into , onde promoveu mais de 50 revisões de contratos com empresas prestadoras de serviços, que resultaram na devolução de mais de R$ 2,5 milhões aos cofres públicos. É membro titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia e da Sociedade Brasileira de Cirurgia do Quadril.

O ato de cassação foi publicado hoje (30) e assinado pelo conselheiro Sylvio Sérgio de Neves Provenzano.