A Justiça do Distrito Federal determinou que o ex-dono da Gol, Nenê Constantino, se entregue em até 48 horas para o início do cumprimento da pena de 21 anos e sete meses de prisão.

Constantino e outros três réus foram condenados em maio de 2017 pelo assassinato do líder comunitário Márcio Leonardo de Sousa Brito.

O Tribunal do Júri de Taguatinga, no DF, pediu a execução provisória da pena com base em decisão do STF de que é possível a prisão após condenação em segunda instância.