A brasileira Françoise de Souza Oliveira,de 40 anos, mulher do embaixador da Grécia Kyriakos Amiridis, confessou no início da noite desta sexta-feira que participou da morte do marido. Mais cedo, a polícia havia pedido à Justiça a prisão de Françoise, do policial militar Sergio Gomes Moreira Filho e de um dos dois cúmplices, Eduardo Tedeschi, amigo do PM. O outro suspeito de participar do crime é um primo de Sérgio Moreira.

O casal morava em Brasília, mas desde 21 de dezembro estava em férias na cidade Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, no Rio de Janeiro, onde mora a família de Françoise. Eles viveram juntos durante 15 anos e tinham filha de 10 anos. Amiridis assumiu o posto de embaixador da Grécia no Brasil em janeiro passado. Entre 2001 e 2004, havia sido cônsul-geral da Grécia no Rio. Sua carreira diplomática começou em Atenas, em 1985, e inclui passagens pela Sérvia, Bélgica, Holanda e Líbia.

A mulher de Kyriakos, Françoise de Oliveira Souza Amiridis, de 40 anos, estaria tendo um caso com o policial militar Sérgio Gomes Moreira Filho, 29 anos, sem o conhecimento do embaixador. Françoise e Sérgio se conheciam há seis meses.

A polícia ainda não tem todos os detalhes da morte do embaixador. Mas investigações apontam que o assassinato de Amiridis tenha acontecido na casa da sala do casal, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Manchas de sangue foram encontradas no local. Só depois, o corpo teria sido removido e queimado com o carro do diplomata

Segundo a polícia, não houve barulhos de tiros, o que pode levar a crer que o diplomata foi morto a facadas. Para a polícia, Françoise é a mandante do crime e o PM, o executor.