O Ministério da Justiça suspendeu, por mais 30 dias, as visitas de familiares e os atendimentos de advogados em penitenciárias federais do país devido à pandemia do novo coronavírus. A medida foi publicada no Diário Oficial da União e é assinada por Marcelo Stona, diretor do Depen (Departamento Penitenciário Nacional).

Também ficam suspensas as atividades educacionais e de trabalho, além das assistências religiosas e escoltas. As exceções são os casos de atendimentos de advogados que envolvam prazos processuais que não foram suspensos, escoltas de requisições judiciais e inclusões emergenciais.

A suspensão dessas atividades vem sendo prorrogada desde março, quando uma primeira portaria restringindo as visitas foi publicada pelo Depen. Estados também suspenderam visitas em penitenciárias estaduais.