Jornalista no eixo Brasília-Rio de Janeiro.

Futura presidente do TST

O Tribunal Superior do Trabalho (TST, que teve a primeira ministra Cnéa Cimini (já falecida) na composição de um tribunal superior, nomeada pelo então presidente José Sarney, será o último tribunal a ter uma mulher na presidência da Corte. Em fevereiro do próximo ano, a ministra Cristina Peduzzi deve ser escolhido pelos pares para assumir a presidência em substituição a Brito Pereira. Peduzzi, de 66 anos, chegou ao TST em 2001 nomeada pelo presidente Fernando Henrique Cardoso em vaga do Quinto Constitucional da OAB.

Derrota judicial

O Fluminense sofreu uma derrota judicial hoje (04). Em ação trabalhista que corria desde 2015 no Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (TRT-1), o Tricolor foi condenado a pagar R$ 266.389,15, no valor bruto, ao meia Thiago Neves, que atualmente defende o Cruzeiro.

Relações de Trabalho

O ministro do Supremo Tribunal Federal – STF, Luis Roberto Barroso, o secretário Especial da Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, e o coordenador Nacional da Conalis – Ministério Público do Trabalho, João Hilário Valentim, serão palestrantes no 1° Summit de Assessoramento, que será realizado pelo SESCON-SP no próximo dia 7 de junho (sexta-feira), em sua sede (Avenida Tiradentes, 960 – Luz – SP), a partir das 12h30.

Memória dos adotados

O Poder Judiciário de Rondônia (PJRO) lançou uma ferramenta para resguardar a memória das famílias originais de pessoas adotadas. Trata-se do “Projeto Recompor”, uma inovação da Justiça rondoniense que armazena os dados referentes aos processos de adoção. A intenção é proporcionar todas as informações necessárias às pessoas adotadas e interessadas em saber suas origens.