Jornalista no eixo Brasília-Rio de Janeiro.

Se gritar …

Cinco dos sete governadores eleitos no Rio de Janeiro desde 1982 estão na mira da Justiça. Leonel Brizola e Marcello Alencar só não estão na lista porque faleceram em 2004 e 2014, respectivamente.Desses cinco ex-gestores do estado, três estão atrás das grades. Sérgio Cabral já está preso há mais de um ano; Anthony e Rosinha Garotinho foram presos nesta quarta (22) sob suspeita de arrecadação de dinheiro ilícito para o financiamento de suas campanhas eleitorais.

Crime bárbaro em Gramado

O casal Mário, 79 anos, e Julita Wolf, 76, foi encontrado morto dentro de casa na rua 1° de Maio, no bairro Várzea Grande, em Gramado,na serra gaúcha, na manhã de hoje (24). Um vizinho estranhou que não houve movimentação na residência durante toda a quinta-feira e ao entrar no pátio para verificar, visualizou um dos corpos e acionou a Brigada Militar. O crime chocou a comunidade gramadense pela violência dos assassinos. Os peritos do IGP de Novo Hamburgo são aguardados para confirmar a causa das mortes, mas as informações preliminares são de que o casal foi degolado com faca.

Cartórios premiados

Dois cartórios de Goiânia – do 1° Registro de Imóveis, de Igor França Guedes e de Protesto e Anexos, de Naurican Ludovico Lacerda – foram premiados na 13a edição do Prêmio de Qualidade Total Anoreg – PQTA, promovido pela Associação de Notários e Registradores do Brasil (Anoreg/BR). O prêmio, categoria diamante, reconhece os estabelecimentos que mais se destacaram na busca pela qualidade de gestão no país. O resultado foi divulgado durante o XIX Congresso Brasileiro de Di- reito Notarial e de Registro, realizado em Fortaleza (CE).

Julgamento do Foro

Pedido de vista do ministro Dias Toffoli, apresentado na sessão desta quinta-feira (23), suspendeu o julgamento da Questão de Ordem na Ação Penal (AP) 937, na qual o Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) discute a possibilidade de restringir o alcance do foro por prerrogativa de função conferido aos parlamentares federais. Até o momento, oito ministros proferiram voto na matéria, seis acompanhando o entendimento do relator, ministro Luís Roberto Barroso, no sentido de que o foro se aplica apenas a crimes cometidos no exercício do cargo e em razão das funções a ele relacionadas.