Jornalista no eixo Brasília-Rio de Janeiro.

Um crime bárbaro

Menos de 24 horas depois do crime que tirou a vida da jornalista e servidora do Ministério da Cultura (MinC) Maria Vanessa Veiga Esteves, de 55 anos, a equipe da 2ª Delegacia de Polícia (Asa Norte), em Brasília, comandada pelo delegado Laércio Rosseto, prendeu os criminosos. Na noite da última terça-feira, por volta das 23h, na 408 Norte, Alecsandro de Lima Dias, 26, e o amigo, um adolescente de 15 anos, caminhavam pelas redondezas até avistarem Maria Vanessa, que estacionava o carro próximo ao Bloco C, prédio em que morava. Após roubar os pertences da servidora, Alecsandro a segurou e o menor, cujo nome não pode ser divulgado em respeito ao Estatuto da Criança e do Adolescente, desferiu um golpe de faca.

Ainda há juízes no Brasil

Do Defensor Público do Distrito Federal, André Soares em sua página no Facebook. O texto foi compartilhado pelo Promotor de Justiça do DF, professor Paulo Roberto Binicheski:

“Meu pai é juiz aposentado do Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDFT). Fiz direito. Advoguei. Fui oficial de justiça. Sou Defensor Público. Desde sempre estive próximo ao mundo jurídico. O que sempre me motivou foram as pequenas surpresas do dia-a-dia, aqueles momentos em que os operadores do direito deixam resplandecer o que de melhor existe na natureza humana, a capacidade de sentir empatia com o sofrimento do outro. Hoje, o Desembargador George Lopes Leite praticou um desses atos que inspiram.

Mandato no STF

A comissão especial da Câmara que analisa propostas de reforma política manteve hoje (10) trecho do relatório do deputado Vicente Cândido (PT-SP) que prevê mandato de dez anos para integrantes de tribunais superiores, como o Supremo Tribunal Federal (STF) e o Superior Tribunal de Justiça (STJ).