Direito Global
blog

Liberdade e democracia

Durante palestra na Ordem dos Advogados do Brasil, em Sergipe, o advogado criminalista, Antônio Carlos de Almeida Castro (Kakay), afirmou que se sente representado pelo presidente da OAB/SE, Henri Clay Andrade, “pela iniciativa de levantar a bandeira de defesa das garantias fundamentais e por seu discurso na defesa das liberdades e da democracia”. “Coloco-me como soldado para enfrentar fileiras na luta iniciada pela OAB/SE pela defesa das liberdades e da advocacia.” disse.

Na abertura do evento, Henri Clay defendeu o princípio do contraditório e da ampla defesa e afirmou que a entidade envidará ainda mais esforços em combate à violação das prerrogativas. Em agosto a OAB/SE lançará o Movimento Garantista, que defenderá o livre exercício da profissão. “A OAB tem como prioridade a defesa das prerrogativas e dos direitos e garantias fundamentais do cidadão. Nós temos por missão diária a luta por igualdade e por um processo equânime e justo”.

Conhecido como advogado das grandes causas criminais políticos, Kakay é advogado de 11 políticos e empresários investigados pela operação Lava Jato. Para ele, diante do atual cenário político do país, é necessário refletir sobre a importância da advocacia criminal. “Há um processo crescente de criminalização da advocacia, um momento em que só existe um tema no Brasil, em que só se fala na Lava Jato de forma punitiva”, considerou.

Em sua palestra, Kakay abordou as necessidades de uma ampla defesa efetiva e de um debate sobre a preservação das prerrogativas da advocacia. “É essencial fazer com que os advogados tenham uma inserção na discussão nacional. Nós vivemos um momento de espetacularização do processo criminal e isso é muito grave. A mídia opressiva faz com que os processos saiam do leito normal, onde não existe uma paridade de armas entre acusação e defesa”, afirmou.

clica