Direito Global
blog

Sessões enfadonhas

Luiz Maklouf Carvalho Enviado Especial / Brasília,
O Estado de S. Paulo

“Aqui, debaixo de cada toga, bate um coração.” Dita com emoção pelo ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), a obviedade pretende frisar que as chamadas 11 ilhas, cada qual no seu quadrado, precisam abrir canais entre si. Primeiro, falando menos para a TV Justiça. Segundo, conversando mais uns com os outros. Para o falatório, chato e sem nenhum controle, Fux propõe um limite de tempo: 15 minutos, o mesmo que cabe aos advogados que ocupam a tribuna. Para diminuir a distância entre as ilhas, que acha já estar melhorando, confia nas “escolhas trágicas” que a sociedade civil está levando à Corte.

Carioca, de 63 anos, Fux foi advogado, promotor, juiz (por 14 anos), desembargador, ministro do Superior Tribunal de Justiça (indicado pelo presidente Fernando Henrique Cardoso e aprovado pelo Senado) e, a partir de março de 2011, um dos 11 do STF, por indicação da presidente Dilma Rousseff e aprovação do Senado.

http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,enfadonho-diz-fux-sobre-julgamento,10000082381

clica