Direito Global
blog

Produtividade e eficiência

A Seção Judiciária do Rio Grande do Norte atingiu, pelo terceiro ano consecutivo,100% no IPC-Jus, o índice criado pelo Conselho Nacional de Justiça para refletir a produtividade e eficiência. Na 5ª Região, integrada pelos Estados de Alagoas, Sergipe, Ceará, Pernambuco e Paraíba, além do Rio Grande do Norte, apenas Alagoas teve um índice semelhante ao potiguar.

Para o diretor do Foro da Seção Judiciária do RN, juiz federal Marco Bruno Miranda Clementino, o percentual de 100% do IPC-Jus é reflexo do comprometimento e da eficiência do trabalho desempenhado por magistrados e servidores. “Esse resultado é motivo de comemoração para todos da JFRN e, claro, principalmente do cidadão potiguar, que tem a certeza, a partir da aferição nacional, de ter um Judiciário Federal muito produtivo”, avaliou.

O relatório Justiça em Números de 2016 (ano-base 2015) revelou, mais uma vez, o excelente desempenho na 5ª Região. Apesar de ter o menor número de magistrados por cada 100.000 habitantes (0,56, sendo que a média na JF é de 0,81), os juízes federais da 5ª Região foram os mais produtivos, com índice de 3.154 (média da Justiça Federal: 2.169). Já os servidores da 5ª Região atingiram o segundo lugar no índice de produtividade (192), ficando acima da média da Justiça Federal (175).

Mesmo recebendo o maior número de casos novos no primeiro grau e JEFs por unidade (3.390, com média de 2.817 da Justiça Federal), a 5ª Região obteve a menor taxa de congestionamento na Justiça Federal (55,1% de taxa bruta e 42,9% de taxa líquida, que desconsidera os processos suspensos).

clica