Direito Global
blog

Lava Jato, 1095 dias

Três anos após a deflagração da primeira fase da Lava-Jato, a operação que investiga atos de corrupção envolvendo políticos, servidores, empresários e operadores identificou desvios que somaram R$ 38 bilhões em recursos públicos. Do total, cerca de R$ 6,4 bilhões já foram recuperados por meio de ações penais e de improbidade movidos pelo Ministério Público Federal (MPF). Além disso, de acordo com o procurador da República Antônio Carlos Welter, integrante da força-tarefa da Lava-Jato, os valores devolvidos aos cofres públicos alcançam pelo menos R$ 10 bilhões com o acordo de leniência da Odebrecht.

— Temos valores bastante expressivos. A operação, hoje, tem ramificações: temos uma investigação grande no Rio de Janeiro, em São Paulo e no Distrito Federal. Já há valores expressivos envolvidos também nesses outros Estados — avaliou o procurador em entrevista ao programa Gaúcha Atualidade, sem especificar valores recuperados pelos braços da Lava-Jato.

A Operação Lava-Jato, sediada em Curitiba, acumula 38 fases desde 17 de março de 2014. Welter acredita que o atual momento da investigação, com o envio da “segunda lista de Janot” ao Supremo Tribunal Federal (STF), está entre as etapas mais importantes da força-tarefa. O procurador ainda cita a 7ª fase da Lava-Jato, batizada de Operação Juízo Final, em novembro de 2014, e a primeira relação de políticos investigados pelo procurador-geral da República, que chegou ao STF em março de 2015, como momentos decisivos para as apurações. (Zero Hora)

clica