Direito Global
blog

Hospital do Rim

O Hospital do Rim (Saúde Total Ltda) foi condenado a indenizar em R$ 15 mil o empresário Tiago José Pires, por danos morais, em razão de ter registrado indevidamente seu nome no cadastro de proteção ao crédito da Serasa. A decisão, unânime, é da 4ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO), tendo como relator o juiz substituto em segundo grau Fernando de Castro Mesquita.

De acordo com o autos, em agosto de 2014, o empresário prestou socorro ao ex-funcionário público Edésio Machado de Araújo, que se encontrava com grave dificuldade respiratória. Ele foi conduzido ao Hospital Vila Nova que, por sua vez, o encaminhou ao Hospital do Rim. Ao chegar no local para fazer a internação do paciente, foi exigido do empresário um cheque caução no valor de R$ 4,5 mil.

Além disso, ele teve de assinar um contrato particular de prestação de serviços médicos hospitalares, bem como de um termo de responsabilidade e declaração. Concomitantemente, a mulher de Edésio, Dalva Maria compareceu ao Ministério Público de Goiás (MPGO), onde solicitou que se providenciasse uma vaga na UTI pelo Sistema Único de Saúde (SUS), o que lhe foi deferido. O paciente, então, foi transferido para um hospital da rede pública, onde veio a óbito.

clica