Direito Global
blog

Dupla de ataque

Pré-candidato ao Senado pelo Partido Pátria Livre (PPL), o presidente licenciado da OAB de Sergipe, Henri Clay Andrade nasceu em Lagarto, interior do estado, assim como o ensaísta Silvio Romero (1851-1914) e o espanhol naturalizado Diogo Costa (07.10.1988), que nesta sexta-feira marcou dois gols pela Seleção da Espanha diante de Portugal de Cristiano Ronaldo na Copa do Mundo da Rússia.

Henri Clay Andrade, nascido em 30 de abril de 1969, viveu em Lagarto até os 15 anos, quando mudou-se para Aracaju, com a finalidade exclusiva de estudar. Foi fazer o então chamado segundo grau, todo ele realizado no Colégio Salesiano. “Mas admito que a minha memória afetiva e primitiva está essencialmente ligada às tradições de Lagarto, de seu povo e de sua cultura. É o meu lugar. É como se ali corresse infinitamente um Rio Tejo, de que fala Alberto Caeiro (um heterônimo criado por Fernando Pessoa), só para mim. Lembro com vivacidade de tudo que vivi ali até os 15 anos, e do depois, em muitas e muitas idas e vindas que, aliás, estão vivas e são realizadas ainda hoje”, diz Henri Clay Andrade.

Em 1992, aos 23 anos, Henri Clay já era bacharel em Direto pela Universidade Tiradentes, e advogado. Em 26 anos de carreira, pós-graduado em Direito Processual pela Universidade Federal de Sergipe em convênio com a Seccional e a Universidade Federal de Santa Catarina, este lagartense transformou-se numa marca e em um nome respeitáveis na advocacia sergipana, notadamente naquela dedicada aos trabalhadores. E, ao mesmo tempo, voltou-se para a luta da classe à qual pertence e da sociedade civil, como um militante em favor e em defesa da Ordem dos Advogados de Sergipe – OAB-SE -, chegando à Presidência dela por três mandatos, os dois primeiros de 2004 a 2006 e de 2007 a 2009 –, depois de ter sido conselheiro da seccional entre 2001 e 2003.

No último dia 22 de maio Henri Clay comunicou oficialmente ao Conselho Federal e ao Colégio de Presidentes da Ordem dos Advogados do Brasil, a sua decisão de licenciar-se da presidência da Ordem em Sergipe, “com o intento de concorrer a cargo eletivo nas próximas eleições gerais”, conforme detalhou no documento, protocolado pessoalmente em Brasília.

Segundo Henri Clay, ele resolveu se licenciar da OAB-SE “em virtude da manifestação espontânea, expressiva e determinante da advocacia e da sociedade sergipanas para eu assumir a condição de pré-candidato ao Senado Federal.”

“O manifesto coletivo promovido pela advocacia, contou com o respaldo de significativos segmentos sociais e ganhou forte e surpreendente repercussão pública. De modo que não me sinto mais confortável para permanecer no exercício da Presidência da OAB/SE até a data estabelecida por lei. Sinto-me convocado para uma grandiosa e desafiante missão democrática, a qual assumirei com coragem, combatividade, ética e espírito republicano, valores e princípios inerentes ao meu caráter e à advocacia brasileira”, justificou.

O presidente lembrou que defender a Constituição, a ordem jurídica do Estado democrático, os direitos humanos, a justiça social e dignificar a advocacia são os compromissos que ele jurou ao se tornar advogado há 25 anos. “Agradeço o privilégio da companhia amiga dos valorosos e combativos Presidentes de Seccionais e dos Conselheiros Federais da OAB, admiráveis companheiros de lutas democráticas em defesa da cidadania e por justiça social”, afirmou.

clica