Direito Global
blog

Excesso de cargos

O pré-candidato ao Senado, Henri Clay Andrade (PPL), criticou a forma de gestão dos recursos públicos adotada pelo governo do Estado de Sergipe, principalmente no tocante ao número de cargos comissionados. Atualmente, Henri Clay está afastado da presidência da OAB sergipana.

“A gestão do Estado é inoperante, incompetente. Precisamos de ideias novas, sangue novo. Se o Estado não consegue fazer o básico, serve para quê? Para ter um monte de cabide de emprego, de mamata. É o poder pelo poder. Isso precisa acabar. A gestão pública precisa ser enxugada”, disse Henri Clay em entrevista na rádio Itabaiana FM.

E continuou: “É preciso acabar com as mordomias, com os privilégios. Precisa ter coragem para romper com esse vícios que são seculares. Não dá mais! É preciso valorizar o servidor público. Ter uma gestão competente, eficiente, para que a máquina funcione”, acrescentou o advogado.

Ele também criticou o atraso dos salários dos servidores. “O Estado não está cuidando da sua casa. Os servidores públicos precisam ser respeitados e receber os seus salários em dias. Já há quatro anos eles passam por essa humilhação. Isso é uma falta de respeito. Como é que o Estado tem condições de ofertar um serviço público de qualidade se nem o salário ele paga em dia e de forma devida?”, questionou o pré-candidato.

clica