Direito Global
blog

Há 66 anos, Getúlio cometia suicidio

No dia de hoje (24), há 66 anos, morria por suicídio o ex-presidente Getúlio Vargas. Um dos momentos mais traumáticos da história brasileira. Ele foi enterrado em São Borja, Rio Grande do Sul, no mesmo cemitério onde estão enterrados o ex-presidente João Goulart e o ex-governador Leonel Brizola.

Getúlio Dornelles Vargas foi advogado, militar e político brasileiro, líder da Revolução de 1930, que pôs fim à República Velha, depondo seu 13.º e último presidente, Washington Luís, e impedindo a posse do presidente eleito em 1.º de março de 1930, Júlio Prestes. Foi presidente do Brasil em dois períodos.

Getúlio Dornelles Vargas nasceu na cidade gaúcha de São Borja em 19 de abril de 1882, vindo a falecer no Rio de Janeiro em 24 de agosto de 1954). Foi presidente do Brasil em dois períodos. O primeiro período foi de 15 anos ininterruptos, de 1930 até 1945, e dividiu-se em 3 fases: de 1930 a 1934, como chefe do “Governo Provisório”; de 1934 até 1937 como presidente da república do Governo Constitucional, tendo sido eleito presidente da república pela Assembleia Nacional Constituinte de 1934; e, de 1937 a 1945, como ditador, durante o Estado Novo implantado após um golpe de Estado.

No segundo período, em que foi eleito por voto direto, Getúlio governou o Brasil como presidente da república, por 3 anos e meio: de 31 de janeiro de 1951 até 24 de agosto de 1954, quando se suicidou. Getúlio era chamado por seus simpatizantes de “pai dos pobres”, pela legislação trabalhista e políticas sociais adotadas sob seus governos. A sua doutrina e seu estilo político foram denominados de “getulismo” ou “varguismo”. Os seus seguidores, até hoje existentes, são denominados “getulistas”. As pessoas próximas o tratavam por “Doutor Getúlio”, e as pessoas do povo se referiam a ele como “Getúlio”.

Cometeu suicídio no ano de 1954, com um tiro no coração, em seu quarto, no Palácio do Catete, na cidade do Rio de Janeiro, então capital federal. Sua influência se estende até hoje. A sua herança política é invocada por pelo menos dois partidos políticos atuais: o Partido Democrático Trabalhista (PDT) e o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Getúlio Vargas foi inscrito no Livro dos Heróis da Pátria, em 15 de setembro de 2010, pela lei nº 12.326.

clica