Direito Global
blog

Rivellino e os 80 anos do Rei Pelé

Um dos maiores craques da história do futebol, Roberto Rivellino – campeão do mundo em 1970, no México, ex-jogador do Fluminense e do Corinthians – comentou hoje (20) os 80 anos do seu amigo e ex-companheiro com a camisa amarela da Seleção Brasileira, Edson Arantes do Nascimento, o Rei Pelé:

“Eu nunca me esqueço desse homem (Pelé), quando terminou o jogo e entrou nos vestiário e deu três berros: “O Pelé foi muito criticado, diziam até que ele estava cego, imagina se estivesse enxergando. O que ele fez lá na Copa de 70. Ele deu a resposta dentro de campo. Ele jogou uma barbaridade. Entrou no vestiário e deu três berros ‘Eu não morri não’. O Pelé devia ter uma estátua em cada Estado do Brasil, pelo o que ele representou. Eu gosto muito dele. Pra mim, eu considero 58 e 62, mas 70 foi a maior Copa dele. Ele tava voando. O maior exemplo que tive na minha vida foi esse homem. Eu nunca vi ele ruim. Tem dia que você está em uma ‘inhaca’, as pernas ficam meio pesadas. Eu nunca vi aquele homem meio assim, é sempre querendo… olha, eu tiro o chapéu.”

clica