Direito Global
blog

Ricardo Eletro, triste final de uma máquina de vendas

A Justiça de São Paulo decretou nesta quinta-feira (9) a falência da Máquina de Vendas, dona da marca Ricardo Eletro. A decisão pode pôr fim às operações de uma empresa que já foi uma gigante do varejo, com mais de 1.200 lojas, faturamento de R$ 9,5 bilhões e 28 mil funcionários.

Fundada pelo empresário Ricardo Nunes, em 1989, a companhia enfrentou uma série de dificuldades financeiras a partir de 2015, e Nunes foi acusado de sonegação de impostos. Nunes fundou a Ricardo Eletro em Divinópolis (MG). Dez anos depois, em 1999, a empresa chegou a Belo Horizonte e começou um processo de expansão. A partir de 2002 abriu lojas fora de Minas Gerais, começando pelo Espírito Santo.

Para completar, por dívidas tributárias, o fundador da empresa, Ricardo Nunes, foi preso em 2020, acusado de sonegar impostos quando ainda estava na companhia. Na época, a investigação apontou que sonegação era “política empresarial” na empresa. Nunes acabou ficando só um dia na cadeia.

clica