Direito Global
blog

“Estrada Senador Murilo Badaró” em Minas Gerais

Saiu publicado hoje (22) no Diário Oficial da *União (DOU) a lei número 14.376 denominando “Estrada Senador Murilo Badaró, o trecho rodoviário da BR-367 que liga os municípios de Minas Novas a Araçuai, no estado de Minas Gerais. Para o filho do senador, Murilo Prado Badaro a lei é “uma justa homenagem ao meu pai que tanto amou o Vale do Jequitinhnha e sempre lutou muito pela região”. A BR-367 é uma rodovia federal diagonal brasileira que inicia em Santa Cruz Cabrália, na Bahia, e términa em Gouveia, no estado de Minas Gerais.

O neto do senador, hoje advogado e representando a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), Rodrigo Badaró Castro ficou emocionado com a homenagem: “como bem colocado pelo Presidente Rodrigo Pacheco, uma singela homenagem, simbólica mas importante. Ele foi um politico que em inúmeros cargos ocupados ao longo de mais de 50 anos de vida pública, tinha o respeito da esquerda, centro e direita, não à toa diziam que foi um dos últimos políticos que tinha a Alma de Minas. Foi ainda único político que conheceu todos os municípios de Minas, tendo se doado ao Brasil, as Alteroras e ao Vale do Jequitinhonha. A homenagem não poderia ter local mais apropriado, sua terra e sua gente. Ele não acumulou riquezas e nem escândalos, e somente os seus feitos e o nome honrado, agora simbolicamente e merecidamente lembrado”.

Comentário do renomado advogado mineiro, ex-conselheiro federal da OAB e atualmente vice-presidente do Clube Atlético Mineiro, mais conhecido como “Galo”, José Murilo Procópio: “O que me admirava muito em Murilo Badaró era a sua simplicidade e amor às suas origens. Depois de ocupar relevantes cargos na República, Senador e Ministro de Estado, num gesto de desprendimento, saiu candidato a Prefeito de sua querida e longínqua Minas Novas. Eleito, cumpriu o mandato com sabedoria e dinamismo , trazendo um grande progresso não só para a sua cidade natal como também para o Vale do Jequitinhonha. Portanto, justíssima homenagem a esse homem de bem!”

Em Minas Gerais, a BR-367 tem dois trechos distintos. O primeiro liga a MG-405 em Jacinto à MG-114 em Berilo, passando pelos municípios de Almenara, Jequitinhonha, Itaobim, Itinga, Araçuaí e Virgem da Lapa. O segundo trecho vai de Minas Novas a Gouveia e passa por Turmalina, Couto de Magalhães de Minas e Diamantina. No estado da Bahia, a rodovia tem 84,2 km de extensão e liga a BA-001 em Santa Cruz Cabrália à BR-101 em Eunápolis, passando por Porto Seguro. Ao todo, a rodovia tem mais de 750 quilômetros.

O Vale do Jequitinhonha é uma região do estado brasileiro de Minas Gerais, na Região Sudeste do país. É uma região amplamente conhecida devido aos seus baixos indicadores sociais. Por outro lado, possui exuberante beleza natural e de riqueza cultural, com traços sobreviventes das culturas portuguesa, negra e indígena. É chamada de vale, pois, o rio Jequitinhonha atravessa toda a sua extensão, desde sua nascente no município de Serro até sua foz no município de Belmonte, na Bahia.

Murilo Paulino Badaró nasceu em Minas Novas em 1931. Formado pela Faculdade de Direito da Universidade de Minas Gerais, iniciou sua vida política em 1958, quando se elegeu deputado estadual pelo Partido Social Democrático (PSD). Em 1966, elegeu-se deputado federal pela Arena, sendo reeleito em 1970. Em 1978, Badaró foi eleito senador e presidiu a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Em agosto de 1984, licenciou-se do cargo para assumir o Ministério da Indústria e Comércio do governo Figueiredo. Em 2004 foi eleito prefeito de Minas Novas pelo Partido Progressista (PP). Murilo Badaró faleceu em Belo Horizonte, em 2010.

Na Câmara, Murilo Badaró foi autor do projeto da Emenda Constitucional que criou a Comissão de Desenvolvimento do Vale do Jequitinhonha (Codevale). No Senado, teve importante participação na retomada democrática do país, integrando a Comissão Mista do Congresso encarregada de examinar o projeto de anistia. E, como ministro da Indústria e Comércio, atuou decisivamente para salvar a Açominas, uma das mais importantes siderúrgicas nacionais, da falência.

clica