Direito Global
blog

Renato, o Aranha Negra, e o saudoso Canal 100

Durante quase vinte anos – 1964 a 1982 – o ex-goleiro Renato da Cunha Valle, o Aranha Negra, defendeu a Seleção Brasileira (Copa de 1974), Flamengo, Fluminense, Atlético Mineiro, Bahia, Uberlândia, entre outros. Neste período de muito sucesso profissional foi retratado pelo Canal 100, um cinejornal brasileiro fundado em 1957 por Carlos Niemeyer e que era exibido semanalmente em todos os cinemas do pais. O Canal 100, já extinto, lamentavelmente, exibia documentários cinematográficos de eventos importantes do país e, principalmente, do futebol. A famosa música usada nas imagens se chama “Na Cadência do Samba” (Que Bonito É), composta em 1956 por Luiz Bandeira tocada pelo pianista Waldyr Calmon.

Carioca de Copacabana, oriundo do futebol de praia, Renato, hoje com 77 anos – 5 de dezembro de 1944 – reside em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, e, segundo o próprio, “de onde não pretendo sair mais”. Ao ler no site a matéria Canal 100 registrou o início de carreira de Pelé e Garrincha, imediatamente, com muita tristeza, fez o seguinte comentário: “Pena que um incêndio destruiu parte desse acervo maravilhoso!!”

Há um ano, no dia 29 de julho de 2021, um incêndio atingiu o galpão da Cinemateca Brasileira. O galpão fica na rua Othão, número 290, na Vila Leopoldina, zona oeste de São Paulo. No galpão da Cinemateca Brasileira estavam abrigas mais de duas mil cópias de filmes, além do acervo do Canal 100, cinejornal que cobriu eventos esportivos importantes O local já foi atingido por um incêndio em 2016. Na ocasião, cerca de 500 obras foram destruídas pelo fogo. Outros três incêndios na Cinemateca foram registrados, nos anos de 1957, 1969 e 1982. No ano passado, um temporal alagou o galpão e destruiu parte do acervo. Ao longo desses incidentes, mais de 4500 rolos de filmes foram perdidos. Após a enchente de 2020, o Governo Federal não divulgou a quantidade de material perdido.

Em julho do ano passado, o Ministério Público Federal em São Paulo (MPF-SP) entrou com uma ação na Justiça contra o governo por abandono da Cinemateca Brasileira. A promotoria questiona a falta de contrato para gestão da instituição. O último contrato antes do incêndio do ano passado para gestão da Cinemateca firmado entre o governo e a Organização Social (OS) Associação Comunicação Educativa Roquette Pinto (Acerp) terminou no dia 31 de dezembro de 2019 e não houve nova licitação. A Cinemateca Brasileira é a instituição responsável pela preservação da produção do cinema nacional. Criada na década de 1940, a instituição conta com cerca de 250 mil rolos de filmes e mais de um milhão de documentos relacionados ao cinema brasileiro.

Também muito triste, o ex-goleiro no futebol dos Estados Unidos, Paulo Roberto Xavier – filho de um antigo artilheiro do Atlético Mineiro, Xavier e irmão do saudoso ponta-direita do Fluminense da década de 70, Wilton César Xavier – fez o seguinte comentário: “Canal 100 era tudo de bom. É impressionante com ao longo do tempo as coisas boas vão desaparecendo. Deveria ser ao contrário com tanta tecnologia”. Paulo Xavier, nascido em Volta Redonda (RJ), após retornar dos EUA, onde residiu por vários anos, exerce a profissão de treinador de jovens goleiros em Garopaba, em Santa Catarina, na empresa Gol de Placa – Escola de futebol.

clica