Direito Global
blog

Até na cachaça e na linguiça

O Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES), por meio da Promotoria de Justiça Cumulativa de Nova Venécia, pediu aumento da pena do vereador Flamínio Grillo e do ex-presidente da Câmara de Vereadores do município, Geraldo Ribeiro Filho. O MPES constatou e provou no processo que Flamínio, na condição de presidente da Câmara Municipal de Nova Venécia, realizou gastos com a compra de elevada quantidade de cervejas, cachaça, carnes bovinas e linguiça. As despesas não eram destinadas ao Poder Legislativo Municipal.

Os dois haviam sido condenados pela Justiça em julho, após denúncia do MPES, a sete anos e dois meses de reclusão, em regime semiaberto. Já o denunciado Geraldo Ribeiro era diretor-geral da Câmara e requeria o pagamento em face dos fornecedores. Diante desses fatos, ambos foram denunciados pela prática do crime de peculato. Assim, na apelação, o Ministério Público requer o aumento da pena de Flamínio Grillo para 10 anos e dois meses de reclusão em regime fechado; e de Geraldo Ribeiro Filho para oito anos e quatro meses de reclusão.

clica