Direito Global
blog

O treinador sumiu

O Atlético Goianiense registrou Boletim de Ocorrência na tarde desta segunda-feira em virtude do desaparecimento do treinador Marcelo Cabo, campeão da Série B no clube em 2016. Em seguida, durante manifestação na sede do clube o coronel Urzêda, da Polícia Militar, revelou que nenhuma hipótese está descartada sobre o caso: “Aqui não é uma roça. Não é o Rio, onde ele mora, mas tem estrutura. Aqui tem violência normal, do dia a dia, mas nada anormal. É uma coisa estranha”. Os médicos do clube já ligaram para o Instituo Médico Legal, e nada. Pode ter acontecido qualquer coisa. Mal súbito, sequestro, qualquer coisa. Vamos trabalhar com todas as possibilidades.

Em seguida, o coronel detalhou o bom comportamento do treinador: Ele é um cara que tem hábitos. Ou ele estava no Atlético-GO, ou na igreja ou no apartamento. A vida dele é uma rotina certinha por isso está nos estranhando muito. Ele não faz uso de drogas, não tem vida dupla. Esperamos que não tenha acontecido nada de ruim. Segundo o militar, o fato de ter saído sem telefone celular e com cartão de crédito dá margem para uma hipótese: Ao sair por último, ele não levou carteira nem celular, o que indica que ele pode ter ido em algum lugar próximo. Levou só cartão.

O coronel ratificou o último momento no qual Marcelo Cabo foi visto: Ele saiu no carro dele e, desde então, não temos mais informações. Ele estava sozinho segundo imagens do circuito de segurança. A gente acha que ele saiu para ir a um local perto porque deixou o telefone carregando, carteira lá. O carro do Marcelo Cabo é um Palio Attractive branco (modelo novo), placa PQF-8288. Quem tiver alguma informação, ligar na Deic 62 3201-1140.

Segundo informações da Rádio 730, a família de Marcelo Cabo já está a caminho de Goiânia. A última pessoa com quem ele falou foi seu filho, pelo celular, para assuntos familiares.

clica