Direito Global
blog

Tolerância zero

O Comissariado da Infância e Juventude, entidade vinculada ao Juizado da Infância e da Juventude da Comarca de Macapá (Área de Políticas Públicas e Medidas Socioeducativas), inspecionou bares, boates e zonas de vulnerabilidade social para fiscalizar a presença de crianças e adolescentes. A fiscalização iniciou por uma área de prostituição localizada no bairro Congós. Foram recolhidas cinco adolescentes, que apresentavam sintomas de uso de entorpecentes e resistiram na hora da apreensão, informou o servidor do Comissariado, José Casemiro.

O juiz Luciano Assis, titular do Juizado da Infância e da Juventude de Macapá, falou do importante trabalho desenvolvido para garantir a segurança desses adolescentes. “A ideia da blitz é conscientizar e chamar a responsabilidade dos empresários da noite amapaense, que devem cumprir o horário de funcionamento estabelecido pelos órgãos competentes, coibindo a presença de adolescentes em situação de risco ou em desacordo com a lei, não fornecendo também bebida alcoólica”, pontuou o magistrado.

O juiz informou ainda que, por conta da reincidência desses estabelecimentos no descumprimento da Lei, a partir de agora o Juizado passará a adotar uma política de tolerância zero. “Fiz contato com a prefeitura de Macapá e com a Secretaria de Segurança Pública para empenharmos um plano de ação que envolva a fiscalização do horário de funcionamento desses locais e a presença desses jovens. Em conjunto faremos essas abordagens mais abrangentes e efetivas”, finalizou o magistrado.

clica