Direito Global
blog

Morto a pedradas

Tio e dois sobrinhos foram condenados pela justiça de Mato Grosso do Sul por terem assassinado, em junho do ano passado, com 17 pedradas no rosto e na cabeça, o dependente químico Rosinaldo Sérgio de Campos, conhecido pelo apelido de “Madrugada”, na época com 33 anos. No julgamento, realizado na 2ª Vara do Tribunal do Júri e presidido pelo juiz Aluizio Pereira dos Santos, foram condenados pelo crime de homicídio os réus Aldo da Silva Paim, de 24 anos, e os sobrinhos Thierry Fernando Paim de Castro, de 20 anos e Maikon Willian Paim, de 20 anos.

O Conselho de Sentença, por maioria dos votos declarados, acatou a denúncia do Ministério Público Estadual, representado pelo Promotor de Justiça Douglas Oldegardo Cavalheiro Santos, e condenou o trio pelo crime de homicídio qualificado, com as qualificadoras de motivo torpe, meio cruel e recurso que dificultou a defesa da vítima. O bárbaro crime ocorreu no bairro de Santa Luzia, em Campo Grande (MS).

Isso porque os acusados agiram pelo motivo torpe, de forma consistente em vingança decorrente de uma tentativa de roubo praticada contra a vítima Rosinaldo Sérgio de Campos e em razão do não pagamento de uma dívida no valor de R$ 600,00 referente à venda de uma arma de fogo. Toda a agressão foi filmada pela câmera de vigilância de um comércio próximo ao local. Depois do crime, tio e sobrinhos foram para a casa dormir.

Além disso, teriam empregado meio cruel, pois agrediram por meio de diversos socos, pontapés e pedradas, principalmente na face, dilacerando a cabeça da vítima, o que provocou um imenso sofrimento físico. Aldo foi condenado a 18 anos e seis meses de prisão, Thierry a 19 anos e Maikon de 18 anos, todos no regime fechado.

clica