Direito Global
blog

Pertence e o Adegão

O 7 de setembro não marca apenas o Dia da Pátria. Ele é motivo de lembrança para dois brilhantes advogados de Brasília: Antônio Carlos Dantas Ribeiro e Alberto Pavie. Há 27 anos, nesse mesmo dia 7 de setembro, eles foram almoçar juntos em um dos mais tradicionais restaurantes do Rio de Janeiro: o Adegão Português, em São Cristóvão.

Quem ensinou o caminho do Adegão para os dois foi o mais importante presidente da história do STF, ministro Sepúlveda Pertence, hoje, aos 81 anos, advogando, como no início de carreira, na capital federal. ” Ele (Pertence) que me ensinou o caminho e eu, sempre exagerado, virei cliente mais assíduo do que ele”, disse Dantas que é torcedor do Vasco da Gama. Pavie é torcedor do Fluminense.

A matriz, inaugurada em abril de 1964 no Bairro Imperial de São Cristóvão, conquistou de imediato uma clientela fiel, atraída pelas deliciosas receitas. Fruto do sonho de quatro amigos imigrantes, Manuel Barcia Riveiro, Francisco Iglesias Alonso, Zeferino Riveiro e De Franco Mário Rafaelle, o Adegão Português surgiu para oferecer à cidade a atmosfera gastronômica tradicional da Terrinha, respeitando a fartura das porções e a qualidade dos ingredientes

A aposta do restaurante sempre foi aliar inovação com tradição, utilizando os melhores produtos, escolhidos por quem entende do assunto. Em 2005, o Adegão Português levou toda essa tradição para um shopping na moderna Barra da Tijuca sem mudar a filosofia que garante o sucesso. Até hoje, o atendimento e o exclusivo preparo dos pratos continuam fazendo do Adegão um dos melhores restaurante portugueses do Rio de Janeiro.

clica