Direito Global
blog

Goleiro vence ação trabalhista

A polêmica dispensa de oito jogadores realizada pela gestão do ex-presidente do Fluminense, Pedro Abad, no final de 2017, segue dando uma grande dor de cabeça para o Fluminense. A juíza Cissa de Almeida Biasoli, da 75a Vara do Trabalho do TRT-1, condenou o clube a pagar R$ 860.347,40 ao jogador Higor Leite.

Na petição, os representantes do jogador citam que o Tricolor propôs, após a recisão, um acordo para pagamento das verbas trabalhistas vencidas, verbas rescisórias e indenização pela rescisão antecipada do contrato de trabalho. O Fluminense se comprometeu a pagar pela rescisão antecipada do contrato, o valor de R$ 240.363,93 equivalente a 44% da Cláusula Compensatória Desportiva pactuada na cláusula décima terceira do aditivo do contrato de trabalho.

A ação mostra que o Flu acertou ainda R$ 97.552,82 referentes as verbas trabalhistas vencidas e não pagas (Férias 2016, Férias 2017, 13º Salário 2017 e salário de novembro 2017) no prazo acordado. No entanto, R$ 274.975,04 referentes a saldo de salário de três dias do mês de janeiro de 2018 (R$ 3.500,00), férias proporcionais 8/11 (R$ 23.333,33), terço constuitucional de férias (R$ 7.777,78) e indenização contratual/legal (Cláusula Compensatória Desportiva – R$ 240.363,93) não foram pagas.

Também ficou acordado que o Fluminense pagaria a Higor o valor de R$ 67.519,90 pelo FGTS, sendo o valor de R$ 26.240,00 referente a agosto a novembro 2014, fevereiro, março, abril e outubro 2015, julho a novembro de 2016 e janeiro e fevereiro de 2018, que não foram depositados.

No dia 28 de dezembro de 2017, com o objetivo de reduzir sua folha salarial, o Fluminense anunciou a dispensa de oito jogadores. Entre eles, dois atletas que serviram a seleção brasileira, como Henrique ( hoje no Corinthians) e Diego Cavalieri ( hoje no Botafogo ), o último estava há sete anos no clube. Além dos dois atletas, outros seis jogadores também não atuarão mais pelo Fluminense a partir de 2018. São eles: Arthur, Higor Leite, Maranhão, Marquinho, Robert e Wellington Silva (lateral).

clica