Direito Global
blog

Álcool e morte no trânsito

A Justiça do Rio de Janeiro determinou a prisão temporária de Karla Vasconcellos de Almeida pelo prazo de trinta dias. Ela dirigia alcoolizada um Polo prata na noite de quinta-feira, na contramão da Estrada do Catonho, sentido Realengo, quando atingiu a moto de Jonatan Lima, de 24 anos, torcedor do Flamengo — o jovem não resistiu aos ferimentos. O laudo prévio de alcoolemia aponta o uso de bebida alcoólica e que ela não tinha “condições de condução do veículo”.

Karla chegou a ser presa na madrugada de sexta-feira, mas foi solta após pagar fiança de R$ 1 mil, determinada na 35ª DP (Campo Grande). “O código de trânsito não permite a prisão em flagrante de quem não foge do local, é um benefício que a lei dá ao autor do delito. Mas foi presa pela embriaguez e pagou fiança. O delegado que fez o flagrante interpretou que ela não teve intenção de matar, também compreendi dessa forma”, disse o delegado Adriano Leal, titular 35ªDP.

O delegado titular da 33ª DP Reginaldo Guilherme está a frente do caso. Ele acompanha o andamento das buscas e recebeu informações que a mulher estaria em um motel da região antes do acidente. Karla é casada com um sargento da Polícia Militar. A Polícia Civil investiga se existia de fato outra pessoa no carro com a autônoma e se seria o sargento — que não é citado no processo.

Testemunhas ouvidas apontam que uma segunda pessoa estaria no veículo de Karla na hora do acidente

clica