Direito Global
blog

Cônsul honorário da Bélgica

O Ceará é considerado um ponto estratégico para a aproximação entre o Brasil e a Bélgica. Um novo passo para o estreitamento destas relações foi dado com a posse do novo cônsul honorário do país europeu, o presidente da Comissão de Cultura e Arte da OAB Nacional, o advogado e músico Ricardo Bacelar. Com sede em Fortaleza, o novo consulado também terá jurisdição sobre Maranhão e Piauí.

“Vou ser a pessoa que cuida dos belgas que residem aqui e também dos turistas que passam por aqui, na hora de alguma necessidade. Também (serei) um agente indutor de desenvolvimento na área industrial e econômica, bem como na área científica, de intercâmbio científico, acadêmico e cultural”, explica Bacelar.

A indicação do advogado cearense para o Consulado se deu por meio de um decreto do Rei Philippe da Bélgica. O embaixador da Bélgica no Brasil, Patrick Herman, esteve pela primeira vez em Fortaleza para participar da cerimônia, junto ao cônsul-geral da Bélgica no Rio de Janeiro, Jean-Paul Charlier.

“Nós agora temos um cônsul honorário que é um especialista jurídico, conhece a indústria do Ceará muito bem e também é um artista. É um cônsul perfeito para o meu país no Ceará”, considera Patrick Herman.

A Bélgica é uma importante parceira comercial do Brasil, figurando como o 6° maior importador de produtos brasileiros e o 4°maior exportador.

Apesar dessa importância nas relações comerciais com o Brasil, a Bélgica ainda é o 17° parceiro comercial do Ceará. Uma posição que Patrick Herman pretende alterar com a atuação de Bacelar como cônsul honorário.

“A presença industrial e no setor de serviços (da Bélgica) no Ceará não é bastante”, considera. “Penso que as perspectivas para um desenvolvimento econômico entre a Bélgica e o Ceará são grandes”.

O embaixador destaca áreas como biotecnologia, indústria da informação, telecomunicações e agropecuária.

Bacelar concorda com a importância dessa aproximação para o Estado, enfatizando não só a oportunidade de relações com a Bélgica, mas também com a União Europeia.

“Esse desenvolvimento traz para o Ceará uma oportunidade importante de se colocar na Europa. A Bélgica é o país onde fica a sede do Parlamento europeu e é um país de entrada para a Europa”, aponta.

Nesta primeira vinda ao Ceará, o embaixador e o cônsul-geral visitaram, junto a Bacelar, a sede da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), onde estiveram reunidos com dirigentes.

Além disso, tiveram uma reunião com a vice-governadora, Izolda Cela, e com o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio. No que chamou de “uma missão exploradora”, o embaixador Patrick Herman explica que começou a delinear os primeiros projetos a serem feitos em solo cearense.

Uma das primeiras iniciativas é a comemoração do centenário da visita do rei Alberto I da Bélgica ao Brasil, que ocorreu em 1920.

Outras ações também já começam a ser delineadas. Exposições, conferências e intercâmbios fazem parte dos planos para o futuro das relações entre Ceará e Bélgica. Jean-Paul Charlier ambiciona ainda um voo que ligue diretamente os dois países.

“O mercado para transporte de pessoas e de produtos já existe”, aponta.

“Nós temos muitos pontos de contato, que podemos promover do Ceará com a Bélgica e da Bélgica do Ceará. Tanto daqui para lá como de lá para cá. Na área da economia, na área de negócios, na área cultural, na área científica”, conclui Ricardo Bacelar. (Diário do Nordeste)

clica