Direito Global
blog

Crime organizado

O combate ao crime organizado foi o tema central do encontro entre o presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, desembargador Claudio de Mello Tavares, e o Superintendente da Polícia Federal no Rio de Janeiro, delegado Carlos Henrique Oliveira de Sousa

O delegado ressaltou a importância da criação da 1ª Vara Criminal Especializada do TJRJ, instalada em setembro do ano passado por iniciativa do desembargador. Claudio de Mello Tavares observou que o Poder Judiciário está pronto para agir com rigor contra quadrilhas organizadas, sejam elas compostas por traficantes, por milicianos ou por ambos.

– O Tribunal de Justiça dará uma pronta resposta a essas quadrilhas. A Vara Especializada garantiu maior agilidade no andamento desses processos, que costumam ter um número expressivo de réus, e maior segurança na expedição de mandados, já que os juízes que nela atuam têm interlocução direta com os delegados e com o Ministério Público – disse o presidente do TJRJ.

O superintendente da Polícia Federal, que tomou posse em 10 de dezembro do ano passado, disse que a diretriz a ser seguida é a de fortalecimento do combate à corrupção e a todas as organizações criminosas, incluindo as de colarinho branco:

– Vamos combater também, e especialmente, as organizações que atuam mais próximas da população afetando o sentimento de segurança de todos, como as milícias. Estamos fazendo um trabalho no Brasil, e o Rio de Janeiro não poderia ficar de fora, de aumentar a interlocução entre as polícias, o Judiciário e o Ministério Público. Na Polícia Federal, já temos como tradição o bom relacionamento com o MP e com os juízes de Varas Criminais, o que sempre gerou excelentes resultados.

Em relação à criação da 1ª Vara Criminal Especializada, o delegado acrescentou:

– Muito louvável essa iniciativa porque aumenta a efetividade que todos pretendemos ao levar essas pessoas a julgamento. O fato de existirem juízes especializados no tema (combate ao crime organizado) vai facilitar, e muito, essa interlocução.

clica