Direito Global
blog

O escoteiro e herói Caio Martins

O estádio Caio Martins, em Niterói (RJ), que completa hoje (20) 79 anos tem esse nome em homenagem ao escoteiro Caio Vianna Martins, que ficou conhecido por, com quinze anos de idade, após um grave acidente ferroviário em Minas Gerais envolvendo vários mortos e feridos, ter recusado ajuda médica e aconselhado o socorro de outras vítimas. Caio Martins era primo legítimo de Angela, mulher do ministro aposentado do Tribunal Superior do Trabalho (TST), José Luciano de Castilho Pereira, de São Leopoldo (MG). Luciano, hoje com 83 anos, reside na SQS 313, em Brasília.

Na época do acidente, o escoteiro Caio Martins proferiu a seguinte frase: Na : “Há muitos feridos aí. Deixe-me que irei só. Um escoteiro caminha com as próprias pernas”, foi determinante para seu óbito. Saiu caminhando e desfaleceu quando chegou em Barbacena. Morreu horas mais tarde, em consequência de uma intensa hemorragia interna

O estádio foi construído em 1941, atendendo ao desejo do governador do estado do Rio de Janeiro, Ernani do Amaral Peixoto, que desejava que jogos do Campeonato Carioca de Futebol fossem realizados em Niterói. Sua inauguração foi em 20 de julho do mesmo ano. Na primeira partida, o Club de Regatas Vasco da Gama venceu por 3 a 1 o Canto do Rio Foot-Ball Club.

No início dos anos 2000, o nome do estádio foi renomeado, sob determinação da Câmara de Vereadores da cidade, para Estádio Mestre Ziza. Contudo, a mudança não foi de agrado dos botafoguenses, já que o niteroiense homenageado, Zizinho, era jogador do rival Clube de Regatas do Flamengo na primeira metade do século XX. A imprensa e os torcedores continuam chamando o estádio de Caio Martins.

No período entre 29 de abril e 31 de outubro de 2013 o Ginásio do Caio Martins foi utilizado pelo TRE-RJ como um dos locais de Recadastramento Biométrico para os eleitores do município de Niterói.

clica