Direito Global
blog

A regra do impedimento deve acabar ?

A regra do impedimento deve ser extinta pela entidade máximo do futebol, a FIFA ?

Zé Roberto – ex-jogador do Fluminense, Flamengo e Santa Cruz, de Recife:
“Acho que essa é a única lei que a Fifa não deve mexer. Sua origem remonta aqueles centroavantes fora de forma, que ficavam colados ao goleiro e não voltavam para ajudar o resto do time. Sempre foi onze contra onze mas esse preguiçoso não saia da pequena área. Arrastá-lo com a missão de impedir, dai o nome, que ficasse na banheira, outra origem, “tomando banho”, foi a razão da existência ausência dessa linha. Quem ia gostar hoje? Fred, Ricardo Oliveira, Leandro Damião, está arriscado até volta do Dadá Maravilha. Deixa quieto!”

Renato – ex-goleiro da Seleção Brasileira, Flamengo, Fluminense e Atlético Mineiro
” Tenho duas opções que acho que valeria a pena experimentar. A primeira seria:estender as linhas da grande área até as laterais e o impedimento seria dali em diante. A outra seria:a pequena área funcionaria como o garrafão no basquete que impede o jogador de ficar parado dentro esperando a bola chegar nele, como no futebol soçaite. Mexeria no pênalti. Meio metro para trás com o goleiro fazendo o que quiser dentro da pequena área ,e tiro livre sem rebote.
A bola na mão é falta, assim como no basquete quando pega na perna. Polêmica, só serve para discussão em boteco”.

Mário Nélson Duarte – jornalista em Brasília
“Com certeza! Só lembrando: o impedimento foi inventado para evitar que um jogador se plantasse colado ao goleiro adversário. Isso há mais de um século. Hoje, com o preparo atlético apurado, quem fizer isso estará perdido, porque ficará com uma peça a menos. E os goleiros estão num nível técnico como nunca houve.”

Sérgio Batalha – advogado no Rio de Janeiro
“Qualquer mudança nas regras do futebol tem de ser muito refletida. A simples supressão da regra do impedimento pode levar o jogo a ficar excessivamente centrado nos lançamentos, no estilo “ligação direta”. Por outro lado, o avanço na preparação física torna o jogo mais truncado. Talvez fosse mais interessante para dinamizar o jogo, tirar um jogador e flexibilizar a regra de substituições”.

Juca Kfouri – jornalista em São Paulo
” Jamais! Encomprida demais o campo e os atacantes vão viver na banheira esperando ligações diretas. Com o VAR, pode-se mexer na regra, estabelecer um corpo de vantagem”.

Luiza Damé – jornalista gaúcha radicada em Brasília
” Para mim, a regra do impedimento dá equilíbrio à disputa. Já foi mais dura e hoje está mais flexível. O impedimento dá emoção à partida. O futebol ficaria muito sem graça sem o impedimento. Confesso que fico com muita raiva quando um jogador do Inter é flagrado impedido”.

Paulo Sérgio – ex-goleiro da Seleção Brasileira, Fluminense e Botafogo
” A minha opinião é que a regra do impedimento poderia terminar somente dentro da grande área. Ali, não precisa ter essa regra. Dentro da grande área poderia abolir. No restante do campo sou favorável à manutenção. Por exemplo, no futebol society os jogadores ficam todos dentro da área porque não há impedimento. No futebol profissional, em função do gramado ser grande tem como comportar essa mudança.

Deni Menezes – jornalista esportivo no Rio de Janeiro
” Não. O impedimento é uma das dezessete regras, assim como o pênalti, que também não pode ser extinto. O problema do impedimento só existe no Brasil, mesmo depois da adoção do VAR, como se viu em Santos 0 x 1 Flamengo, com a longa demora para a decisão de dois lances. Na Inglaterra, a dúvida é desfeita em segundos, não em oito minutos. Só no Brasil”.

Eraldo Leite – jornalista esportivo no Rio de Janeiro
” Não acho que a regra do impedimento deva acabar. Talvez pudesse ser ajustada, como: impedimento só dentro da área (prolongando até às linhas laterais) e acabar com impedimento de braço ou perna. Acho que deveria valer o tronco, apenas”.

clica