Direito Global
blog

Superfaturamento no Acre

Por Romerito Aquino – Jornalista
A pedido do Ministério Público Federal (MPF), a Polícia Federal está investigando através de inquérito a prática de crime de superfaturamento na compra de dois mil computadores para estudantes das escolas públicas pela Secretaria de Educação, do governo de Gladson Cameli (licenciado do PP).

 Aberto em 16 de novembro por determinação do MPF, o inquérito policial da PF tem prazo de três meses para ser concluído após  as fases, se for o caso, de depoimentos e quebras de sigilos fiscais, bancários e telefônicos, além de prisões preventivas dos agentes públicos e privados que estiverem envolvidos na compra dos computadores a preços exorbitantes com o fim de gerar propinas em favor de gestores educacionais.
 O crime de superfaturamento na Secretaria de Educação foi denunciado no início deste ano pelo vice-governador Major Rocha (PSL). A denúncia foi investigada pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) e gerou um amplo relatório sobre o assunto.
O relatório do TCE revela que a Secretaria de Educação do governo Cameli usou mais de R$ 10 milhões dos cofres públicos para comprar os dois mil computadores de uma empresa do genro do deputado estadual José  Bestene (PP), do mesmo partido e aliado de primeira hora do governador Gladson. Bestene também é tio do atual secretário de Saúde do estado, Alysson Bestene.
clica