Direito Global
blog

Collor vence Lula na eleição de 1989

No dia 17 de dezembro de 1989, portanto há 31 anos, o presidente do TSE, ministro Francisco Rezek, mineiro de Cristina, então com 45 anos, anunciava oficialmente, no Centro de Divulgação dos Resultados montado pelo TSE no Centro de Convenções, em Brasília, a vitória do candidato Fernando Collor de Mello sobre o seu opositor, Luiz Inácio Lula da Silva, na eleição de segundo turno para Presidente da República. A eleição presidencial de 1989 foi realizada em um dois turnos. O primeiro aconteceu em uma quarta-feira, 15 de novembro de 1989, e o segundo em um domingo, 17 de dezembro de 1989.

Foi a primeira eleição presidencial no país após a promulgação da Constituição Federal de 1988. No total, 22 candidatos a Presidente e 22 a Vice-presidente do Brasil concorreram na eleição. Os principais candidatos à presidência foram: o liberal Fernando Collor de Mello (PRN, atual PTC), o socialista Luís Inácio Lula da Silva (PT), o trabalhista Leonel Brizola (PDT), o social-democrata Mário Covas (PSDB), e o conservador[Paulo Salim Maluf (PDS, atual Progressista.

Collor, do PRN, que tinha Itamar Franco como vice, teve 35.089.998 milhões de votos – 53 por cento – e Lula, do PT, que tinha José Paulo Bisol, do PSB, como vice, teve 31.076. 364 milhões de votos – 46,97 por cento. Collor venceu a disputa em 23 estados e Lula em 3 estados e mais o Distrito Federal.

A ditadura militar que perdurou no Brasil até 1985 fez com que representantes eleitos democraticamente se tornassem quase um mito no país. Os brasileiros não tiveram eleições populares por 30 anos, iniciados após a vitória de Jânio Quadros em 1961, que também não durou muito tempo.

Então, em 1989, a população estava mais que ansiosa pela primeira eleição depois de 30 anos. As possibilidades de candidatos eram inúmeras: Ulisses Guimarães, Leonel Brizola e até mesmo Silvio Santos. Mas as coisas não seguiram como era esperado no processo eleitoral brasileiro daquele ano.

Uma inesperada reviravolta ocorreu durante as campanhas dessa primeira eleição. O favorito era Brizola (PDT), que se especulava que ganharia ainda em primeiro turno. No entanto, com o desencadear dos programas eleitorais, a bem financiada campanha de Fernando Collor  o levou ao primeiro lugar, sucedido pelo caudilho gaúcho.

Há exatos 31 anos, foi também a primeira vez na História do Brasil que se disputou um segundo turno eleitoral.

clica