Direito Global
blog

Há quatro anos, morria Teori Zavascki

No dia de hoje (19.01), há quatro anos, vítima de acidente aéreo na região do litoral de Paraty, no Rio de Janeiro, morria o então ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Albino Zavascki, na época com 72 anos. Segundo o IML de Angra dos Reis, a causa morte foi politraumatismo craniano devido ao impacto da queda.  O voo saiu do aeroporto Campo de Marte, na cidade de São Paulo, às 13h, com destino à cidade de Paraty. Porém, a aeronave caiu no mar próximo à Ilha Rasa, cerca de meia hora depois de decolar. Chovia muito na região da queda. O avião prefixo PR-SOM era um bimotorturboélice, modelo Hawker Beechcraft King Air C90, com capacidade para sete passageiros mais o piloto.O acidente vitimou outras quatro pessoas

Formado em direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul em 1971, Zavascki concluiu o mestrado e o doutorado em Direito Processual Civil pela mesma instituição em 2000 e 2005, respectivamente. Entre 1976 e 1989, advogado do Banco Central. Em 1979, após aprovado em concursos públicos de provas e títulos, foi nomeado para os cargos de juiz federal e consultor jurídico do Estado do Rio Grande do Sul, porém não tomou posse, optando por permanecer no Banco Central.

Em 30 de março de 1989, tendo ingressado através do quinto constitucional, em vaga destinada a advogado, tomou posse como desembargador do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, presidindo-o de 21 de junho de 2001 até 7 de maio de 2003. Foi indicado  em seguida por Fernando Henrique Cardoso para o cargo de ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), em vaga destinada a membro de Tribunal Regional Federal. Foi nomeado por Luiz Inácio Lula da Silva, tomando posse em 8 de maio de 2003.

Permaneceu no STJ  até 2012, ano em que foi indicado pela presidente Dilma Rousseff ao cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal. Durante a permanência como ministro do STF, Teori ganhou expressiva notoriedade como relator da Operação Lava Jato no STF, analisando os casos de pessoas com foro privilegiado,[ homologando delações premiadas e acordos de leniência.

O substituto de Teori no STF foi o atual ministro Alexandre de Moraes.

clica